A voz aos amigos (V)





O SONHO

Sonhei que o sonho
 É lugar onde quero estar na realidade.
 É meio de transporte para esse local
 é o habitar conjugado do ser contextualizado
 é  realização daquilo que a minha alma sustenta e aspira
 é  esperança quando tudo à volta é ruina
 é vento que me empurra na direção de mim
 é perseverança de alguns e inconsciência de outros
 é um não sei quê que tarda enquanto não se alcança
 é balão que sempre enche e se enche
 é repouso depois da travessia do sonhar
 é paz em tempo de guerra
 é alimento em tempo de fome
 é porventura o chão de onde fui arrancado
 e para onde preciso voltar em nome do sobreviver
 é, porventura, o que faz da  realidade, ilusão,
 reivindicando para si a própria verdade de ser.

António José Rocha
SOBRE A VERDADE

 Quantas vezes morri
 na exaustão das minhas lutas interiores
 e não foras Tu,
 meu Deus de Amor,
 a levantar-me e jazeria no leito da morte
 dentro
 do meu próprio
 peito.
 Não posso Pai,
 por respeito e amor a Ti,
 continuar a negar-me
 por causa dos Homens.

António José Rocha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s