E esta música? (III)

Carolina in my mind – James Taylor

Canção (ver letra e vídeo no final) na qual o cantor lamenta a distância do Estado onde é natural, a Carolina do Norte: a beleza do sol, a luz da lua, um céu em chamas. No seu “desterro”, sente o chamamento da terra onde foi feliz. Nada mais lhe resta senão viajar nas longas pradarias das suas memórias e trazer à sua presença os tempos, imagens, os sonhos, os cheiros da casa onde foi feliz.
O escriba destas linhas sente um misto de comoção e doce melancolia ao ouvir esta música. James Taylor estava em Londres, a gravar no mesmo estúdio onde estavam também os Beatles (“With a holy host of others standin’ around me”). Ao mesmo tempo faz referência ao seu problema com o uso de drogas (“Still I’m on the dark side of the moon”). Este sentido de pequenez e de tragédia pessoal torna ainda mais pungente e bela esta canção.
Não são, para nós, também estes “tempos de exílio”? Arredados da companhia das pessoas e dos lugares que mais gostamos, vivemos exilados: os nossos passos estão limitados, o sol e a lua parecem mais distantes… onde estão os dias de verão em que parecia à nossa alma dilatar-se até ao infinito? As gargalhadas à mesa, os passeios sem fim, o formigueiro das pessoas no centro das cidades, a sensação de pegar no carro e viajar aqui ou acolá… Pouco mais podemos fazer senão isto: “in my mind I’m going to Carolina”.
Ó caminhante cansado, procura dentro de ti! Visita os momentos, grandes ou pequenos, duradouros ou fugazes e convida-os para a tua mesa. Possam eles sossegar-te, por pouco que seja; que neles encontres repouso e alento e alegria. Se, à tua volta desce a noite de todas as noites, e ainda que a tua mão deva permanecer estendida, aceita o convite da memória, celebra íntima e silenciosamente tantos e tantos momentos da tua existência em que não caminhaste perdido ou desterrado, mas em que a celebração da existência ocorreu (ainda que, negligentemente, desapercebida aos teus próprios olhos); em que uma “pequena plenitude” te encheu como um odre, descobrindo “That love’s the finest thing around”. Grava, ainda, no teu coração o não te esqueceres de, aos que estão mais cansados e perdidos que tu, “Whisper something soft and kind”.
Lança a âncora para o futuro, caminhante. De lá, a felicidade e a alegria continuam a chamar.

In my mind I'm gone to Carolina
 Can't you see the sunshine?
 Can't you just feel the moonshine?
 And ain't it just like a friend of mine
 To hit me from behind?
 Yes, I'm gone to Carolina in my mind
 Karin, she's a silver sun
 You best walk her way and watch it shine
 And watch her watch the morning come
 A silver tear appearing now
 I'm cryin', ain't I?
 Gone to Carolina in my mind
 There ain't no doubt in no ones mind
 That love's the finest thing around
 Whisper something soft and kind
 And hey babe, the sky's on fire
 I'm dying, ain't I?
 Gone to Carolina in my mind

 Dark and silent, late last night,
 I think I might have heard the highway call
 And geese in flight and dogs that bite
 The signs that might be omens say
 I'm goin', I'm goin'
 I'm gone to Carolina in my mind
 With a holy host of others standin' around me
 Still I'm on the dark side of the moon
 And it seems like it goes on like this forever
 You must forgive me, if I'm up and gone to
 Carolina in my mind

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s